O meu trabalho existe no contexto do momento presente, fruto da experiência do lugar e do agora, recusando uma lógica pré-determinista ao abrir espaço para, simplesmente, acontecer.

Utilizo ferramentas como o video, a fotografia e a instalação como meios de expressão, trabalhando na concepção de objectos que nem sempre implicam uma transformação, mas o seu simples uso de forma descontextualizada e metafórica.

Crio, acreditando que a arte é o caminho menos obstruido para a experienciação e que toca naquele milésimo de segundo anterior ao impulso de criar barreiras e encontrar conceitos, a que chamo verdade.

“[…] a obra é irredutível a uma simples coisa explicável pela ligação matéria-forma, porque ela tem esta capacidade de exibir uma verdade. Mas a verdade que a obra mostra não é uma verdade abstrata, um horizonte geral. É uma verdade situada no tempo e no espaço, que é, a cada instante, a de um mundo e uma terra determinados ”

( Michel Haar na interpretação das reflexões de Heidegger em – A origem da obra de arte )